• Carolina Schleder

O que é Cultura Maker?



Recentemente a Cultura Maker vem ganhando espaço e se tornando alvo de discussões dentro de diferentes instituições, esse conceito é mais difundido em centros de ensino e sua importância dentro deles já é comprovada. Dentro de empresas, discussões e incentivos para o desenvolvimento da chamada Cultura de Inovação estão crescendo, mas pouco se fala sobre a Cultura Maker e como ela pode auxiliar nesse caminho à inovação. O objetivo desse artigo é expor o que é Cultura Maker e qual seu valor para o treinamento de colaboradores em empresa, buscando o crescimento da Cultura de Inovação.


O que é Cultura Maker?


A Cultura Maker é um movimento que incentiva a criação de soluções caseiras para desafios e problemas se apropriando de métodos tecnológicos para a sua resolução. O conceito é bem amplo e por vezes pode parecer amedrontador, especialmente para pessoas que não são muito ligadas à cultura digital ou às tecnologias, mas um dos grandes objetivos da Cultura Maker é empoderar os usuários para o uso de tecnologias mais avançadas diminuindo a distância entre o “entender” e o “fazer”. Nós aqui da Think&Make vemos a Cultura Maker como a vertente digital do “Do it yourself (DIY)” ou “Faça você mesmo”. O DIY é um movimento bem atrelado a cultura Punk, com a produção de revistas, álbuns e roupas caseiras, diminuindo a distância entre o criador e o produto fazendo esse processo mais acessível e mais coletivo.


A ideia principal é usar os dispositivos a sua disposição para colocar uma ideia inovadora em prática. Algumas tecnologias específicas permitem a materialização dessas ideias como a impressão 3D, mas é importante ter em mente que todo tipo de ferramenta é válida nessa hora, desde ferramentas digitais até o tradicional lápis e papel. Mas é importante ressaltar que a Cultura Maker procura facilitar o acesso a essas tecnologias digitais. Nesse sentido, várias escolas e centros educacionais já utilizam da metodologia para ensinar matérias como computação e robótica para crianças e adolescente. Porém a Cultura Maker não é só o produto, ela também se relaciona com o mindset e a cultura das instituições que a incorporam.


E o que que eu tenho a ver com isso?


Boa pergunta. O valor educacional da Cultura Maker já é bastante comprovado, atualmente a inserção de tecnologias ligadas diretamente ao movimento, como a impressão 3D, o uso de Arduíno e códigos Open Source (não se assuste, eu explico direitinho o que são essas tecnologias nesse artigo) é difundida entre centros de ensino e indústria. Mas ainda assim a difusão de tecnologias não implica diretamente em uma difusão da cultura, e a importância dessa mudança cultural dentro da indústria é o desenvolvimento de uma cultura de inovação aliando métodos ágeis e co-desenvolvimento que culmina em mais eficiência a rapidez.


A ideia por trás desse movimento não é somente tornar tecnologias mais acessíveis, mas também mudar o jeito tradicional de fazer projetos e processos de uma maneira mais rápida e inteligente.