• Carolina Schleder

Tecnologias da Cultura Maker



Como exposto neste artigo, a Cultura Maker é um movimento que incentiva a criação de soluções rápidas para desafios e problemas se apropriando principalmente de ferramentas tecnológicas para a sua resolução. Neste artigo vamos explorar algumas das tecnologias mais utilizadas dentro do Movimento Maker, essas tecnologias têm o objetivo de facilitar o processo de criação de protótipos aproximando o criador do produto.


Tecnologias que se relacionam com a Cultura Maker


A impressão 3D se relaciona de maneira muito próxima com o Movimento Maker, isto porque a impressão 3D é uma das formas mais rápidas de materialização de protótipos físicos. O tipo mais comum de impressora 3D é de polímero fundido, nesse modelo a forma é construída por sucessivos depósitos de material em camadas. Este processo é conhecido como prototipagem aditiva. Ainda existem outros tipos de materialização rápida de protótipos físicos, como o corte a laser e máquinas tipo CNC. A prototipagem aditiva ainda não é muito acessível porem tanto sua parcela de mercado como sua presença em indústrias e centros de educação e ensino vem crescendo exponencialmente, o principal valor criado pela impressão 3D é reduzir de maneira significativa o custo e o tempo para a produção de protótipos físicos.


A impressão 3D é uma das tecnologias mais conhecidas relacionadas a Cultura Maker, apesar de não ser amplamente acessível, ela é bastante conhecida, outra tecnologia bastante utilizada pelos adeptos do Movimento Maker é o Arduíno. O Arduíno é uma placa de prototipagem eletrônica que pode ser utilizada para automatizar e controlar certos componentes, como motores e LEDs, podem ser equipados com sensores de luz, temperatura entre outros. A ideia por trás do Arduíno é criar uma placa que é fácil de programar, baseada em códigos Open Source, nesse caso programadores iniciantes podem desenvolver códigos para controlar pequenos aparatos. Nas indústrias, o equipamento é bastante mencionado em soluções voltadas à IoT (Internet das Coisas).


Em conclusão


Essas tecnologias têm uma característica em comum: sua simplicidade e agilidade, aproximando o criador do produto. Ainda assim elas são tecnologias que precisam de um nível mesmo que iniciante para o seu manuseio. Na Think&Make acreditamos na Cultura Maker e seu poder de transformação, por isso a inserção dessas tecnologias no cotidiano e ampliação ao acesso às mesmas são necessários para a difusão da Cultura Maker.